Ocupação da Câmara de BH x Ocupação da Massa encefálica

 

Se você tiver curiosidade de entender melhor o que está por trás da ocupação da Câmara de Vereadores de Belo Horizonte, penso não ser recomendável acompanhar o noticiário local na “tv que o mineiro vê”, leia-se TV Alterosa. Talvez nem seja de muita utilidade acompanhar o que alguns andam postando no youtube.  Se tua mente goza de um mínimo de independência, o mesmo adjetivo reivindicado pelos âncoras de todos os jornais, telejornais e demais publicações, verás que não passa de um sonho a tal imparcialidade jornalística. 

Justamente a tal apresentadora que por inúmeras vezes faz menção ao ativismo popular e às vezes até apologia à desobediência civil, não apenas por uma vez aderiu à edição ou mesmo a produziu de maneira tão parcial que estarrece quem esperava um pouco mais de profissionalismo de um tele jornal já tradicional ainda que por falta de opções. A reportagem sobre a ocupação da Câmara Municipal de Belo Horizonte destacou os seguintes pontos da ocupação:

Sexo na casa legislativa

Filmaram jovens dormindo e um casal que cobertos por um cobertor ou lençol pareciam ter iniciado uma relação sexual. Até que um outro jovem fala alguma coisa ao casal e o rapaz então sai do local. O repórter exclama: vejam que ele sai sem o agasalho que vestia quando deitou! Me poupem né sensacionalistas! Já mostram sexo quase explícito até nos desenhos animados, todas as apresentadoras infantis são símbolos sexuais e vocês querem alarmar quanto a uma relação sexual que supostamente aconteceu? Qual dispositivo legal foi violado? Aproveitaram a deixa e noticiaram o caso de um integrante que teria violentado uma garota. Integrante este que já havia sido reprimido pelo movimento que aliás, trata-se de um movimento de massa e não de grupo eclesiástico. Se surgem dia após dia acusações de estupros praticados por religiosos, seria de estranhar que o mal aparecesse num grupo de jovens ativistas?

Uso de drogas

Repetidas vezes mostram jovens preparando seus “bagulhos”. Diante da gigante droga do legislativo atual e seus preciosíssimos e nobres eleitos, parece até sugestivo usar todo tipo de droga. Ilegal? Em que esta atitude interfere na argumentação? Não sou simpatizante dos entorpecentes. Mas me assombro com uma mente entorpecida que confunde Djair com João do Caminhão!

Exibicionismo

Em dado momento, um idiota é mostrado fazendo o famoso bunda lelê. Ao me deparar com uma situação como esta, imediatamente mudo o olhar para qualquer outro lugar. Se estiver com uma câmera, desligo-a. A não ser que fosse um repórter tentando deslegitimar um grupo de pessoas ou gostasse de filmar traseiros masculinos. Ambas as coisas, pra mim não fazem sentido. Mas tem gente que gosta.

Habilidades com pedaços de pau

Um cara sozinho fazendo movimentos de ninja com uns pedaços de pau. Hilário. Mas a reportagem viu um grande risco neste comportamento.

Treino de lutas

Dois amigos parecem treinar algo semelhante a capoeira. Na boa, na paz. Que mal faz?

Mostraram outras coisas, como desentendimentos, brigas entre os manifestantes, etc. Sinceramente, achei as imagens estúpidas. Porém estúpida mesmo é a ideia de tentar dizer com isso, algo que ficou nas entrelinhas, que não foi dito. Aliás, se alguém puder me mostrar o sentido da reportagem, me diga, talvez tenha entendido mal.  Considero que seria melhor mostrar a imoralidade que são as reuniões dos vereadores, a droga nefasta dos seus projetos de leis e acordos com o executivo, as brigas infindáveis sobre quem vai levar mais, etc. Ou quem sabe, mostrar, comentar e difundir as reivindicações legítimas dos manifestantes, em detrimentos de seus erros, que por piores que sejam, não tem sido uma tragédia chamada democracia eleitoral. Se você quiser entender o que é um movimento social de ocupação, não veja televisão, participe de um!