Deus é fiel, então a aflição é certa

davi

A fidelidade de Deus tem ganhado muita popularidade depois de criado o jargão no meio evangélico. Segundo o uso que se faz deste atributo, Deus é fiel quando por exemplo honra minha fé e me dá o meu tão sonhado carro. Aí eu prego o adesivo no vidro traseiro. Isso se o carro for novo. Nunca vi este adesivo em carro usado.

Deus é fiel mesmo?

Pra responder isso precisamos examinar primeiro de que deus estamos falando e a que fidelidade estamos nos referindo. Como ilustrado anteriormente, parece que a constatação da fidelidade divina tem sido a satisfação de meus desejos de consumo. Chegamos ao ponto do mencionarmos que Deus é fiel a mim, honrando meus desejos. Curiosamente o inverso do que era de se esperar ao imaginar quem sou e que Deus é. Sendo objetivo, se considerarmos a noção natural absoluta da divindade que nos foi dada, Deus é fiel a Ele mesmo, aos seu desígnos e a nada mais. Do contrário deixaria de ser fiel. Especialmente se o parâmetro for a minha absurda e interminável vontade de ter ter ter ter…

Então o que eu ganho com a fidelidade de Deus?

Se realmente eu quisesse a comunhão com o Deus todo poderoso, essa seria uma pergunta sem sentido. Diante do que Deus é, minhas necessidades humanas são ridículas.  Aliás são pura vaidade, pois só servem para causar inveja em meu próximo, são aflições de espírito. EC 4:1-4

Tanto mais radical considere esta afirmação, tanto mas distante do entendimento divino estarei.

Quer dizer que o correto é o estilo Franciscano desapegado de tudo?

Creio que a não ser que tenha sido chamado para uma vida sem posses, tudo me é lícito possuir de boa fé e com trabalho. A ideia aqui é sempre ser eu o senhor de tudo que tenho e queira conquistar. Se isso me colocar numa posição consumista, essa coisa é que me possui. O celular não fica desesperado se ficar uma semana longe de mim. Mas existem pessoas que entram em desespero se ficam algumas horas longe do aparelho. Outras não tem tempo para nada, mas contam capítulos inteiros de novelas ou sabem detalhes da vida dos famosos. Neste caso, o que é a coisa e o que é a pessoa?

Deus é fiel te fazendo ter e ser o que Ele quiser

As escrituras mostram Deus muito diferente do que é pregado em 99% das religiões.  Todos os que experimentaram Sua fidelidade sofreram consequencias que contradizem a noção do deus que quer me agradar se eu o agradar. Em Sua vontade soberana, se preciso for, Ele me afligirá, trará dores, perdas e o que for necessário para que o que Ele quiser aconteça a mim e ao mundo. Claro que essa concepção me traz arrepios e repulsão. Isso é o que comprova o fato de que minha natureza é contrária à fidelidade de Deus, por isso minha aflição e de todos os outros. Isso é loucura, contrário ao que humanamente se espera de Deus, escândalo e ultrajante à mente carnal. O que ajuda a evidenciar que é bíblico. Mostra que Ele é Deus, eu sou homem. Ele faz o que quer, eu tenho apenas impressão de vontade, pois sou semelhança, não equivalência de Sua personalidade. Muitos teimarão no contrário até o último dia. Outros tem descoberto ainda em vida.

“Bem sei, ó SENHOR,  que os teus juízos são justos e que com fidelidade me afligiste”. SL 119:75

Anúncios

Eu fui na igreja

– Então, como foi seu fim de semana?

– Bem. E o seu?

– Legal. No sábado, acordei cedo e fui estudar um pouco com um colega. Foi proveitoso, uma vez que tanto eu quanto ele precisamos levar bem a sério a oportunidade que estamos tendo de estudar. Além do que, ele tem um conhecimento muito bom de tratados internacionais, matéria da qual eu tenho pouquíssimo conhecimento. Eu pude contribuir da minha parte, com o bom material de estudo que tenho armazenado em meu computador. De fato, mais do que estudar, trocamos boas experiências sobre ser pai, já que a filha dele está a caminho e o meu está nos planos. É sempre bom compartilhar conhecimentos. Ah! Ele também está precisando fazer uma peça jurídica, já que foi, digamos, passado para trás em seus direitos trabalhistas. Será uma ótima chance de aprendermos a fazer uma boa petição inicial na justiça do trabalho. Algo que certamente acrescentará e muito na nossa performance profissional.

Já à tarde, tinha algumas coisas que minha esposa queria que eu fizesse para ela e então passei boa parte de tempo após o almoço ajudando-a na limpeza, dando uma maozinha com as coisas pesadas e com a furadeira, pregando no lugar onde ela queria nosso pôster de casamento. À noite, queríamos fazer algo diferente, então, liguei pro meu cunhado, pois tinha muito tempo que não fazíamos um programa juntos. Fui à casa dele, conversamos sobre livros, filmes, etc, enquanto minha esposa conversava com a esposa dele, coisas de mulher! Parece que foi muito proveitoso para ambas. Elas trabalham muito durante a semana e têm poucas oportunidades de por a prosa em dia. O que, devo dizer, foi quase o que fiz também, guardadas as proporções, pois as mulheres falam “um pouquinho” mais.

– E você?

– Eu, é, bem, tinha culto na igreja né? Fiquei lá ouvindo umas músicas, batendo palma, sentando, levantando, falando com o visinho…

– Hum. Foi bom?

– É, foi.

(Após alguns instantes de silêncio…)

– No domingo, logo cedo, tivemos a notícia que uma amiga da minha sobra acabou falecendo. Não resistiu ao câncer. Tínhamos tentado visitá-la poucos dias atrás. Seu marido foi muito receptivo e pareceu feliz com a visita. Mas dava pra ver sua apreensão com o estado de sua esposa. Como é difícil não poder fazer nada nessas horas. Parece não haver nada a ser feito. Você costuma visitar alguém?

– Fui visitar minha prima outro dia.

– Algum problema?

– Aniversário da sua filha.

– Hum.

– Você fez alguma coisa domingo de manhã?

– Tem culto na igreja.

– Você foi?

– É, não.

– Bem, à tarde liguei para minha irmã. Ela teve alguns problemas durante a semana. Liguei só pra saber se estava tudo bem. Talvez ela gostaria de conversar com alguém. De noite fui arrumar algumas bagunças e pensar um pouco nas tarefas da semana. E você?

– Eu fui na igreja.

Vai com deus e outras chatices

Em tese, a maioria absoluta das pessoas acredita em deus. Isso é discutível pois, temos as mais variadas noções (ou falta de noção) sobre o assunto e quase sempre não estamos falando da mesma coisa. Por exemplo, ateu é quem acredita que deus é incrível!  

Já que toquei nisso, que história é essa de toda hora alguém dizer ‘vai com deus’? Desculpe os que acham ser isso um bom desejo. Pode ser até o contrário. Quantas vezes em dizemos ironicamente: ah! Vai com deus! O ponto é que não existe sentido que não seja irônico nessa frase. Mesmo que o desejo seja genuíno e de bom grado, se deus vai de um lugar ao outro, não está em todo lugar, logo não é deus. De fato, a frase talvez expresse um desejo de que o bem acompanhe a pessoa, que tudo lhe suceda bem. Porém, é educado responder nessas circunstâncias: amém. Neste caso, utilizando-me de uma expressão quase que exclusivamente religiosa, admito que trata-se de uma divindade. No entanto, até colegas meus que se dizem areligiosos, geralmente mantém o mesmo hábito.

Hábito, talvez seja essa a palavra. Vemos cada vez mais indícios sociais que estamos quase totalmente desprovidos de bondade, amor, compreensão…

ao contrário, o progresso é espantosamente vil. Talvez nosso desejo seja que deus nos abençoe, mas que não se meta em nossos assuntos.  Apenas nos faça o bem, pelo que é seu dever. Mas se o mal acontecer, que leve a culpa, que seja incompreendido, distante indiferente, desconhecido, inexistente, apenas uma forma de dizer coisas corriqueiras.

Quando alguém me diz: ‘vai com deus’, me pergunto se quero mesmo ir com Ele. Ou o que importa, se Ele que estar comigo. Coisas a se pensar. A não ser que admita a bobagem universal de que Ele ama todo mundo. Só se for esse que vai com qualquer um.